Por: Vinicius Zart

CREF: 014991 - G/RS

Coach e CEO ZartFit

13 de agosto de 2015

7 min. de leitura

181 compart.

O envelhecimento é um fenômeno natural, que acontece inevitavelmente com o passar do tempo.

O significado de “envelhecimento” é diferente de “terceira idade”.

Envelhecimento é um processo que ocorre desde o nascimento até a morte, o envelhecimento de todas as células e tecidos do nosso corpo.

A terceira idade, velhice ou melhor idade é somente o estágio final do envelhecimento.

Um estágio onde enfrentamos uma diminuição funcional (movimentos básicos), orgânica (funcionamento de órgãos e sistemas), cognitiva (raciocínio) e psicológica (emocional).

Você pode ler mais detalhes a respeito do processo de envelhecimento em todas essas dimensões neste artigo.

São alterações que ocorrem com maior ou menor intensidade, de acordo com uma série de fatores, mas principalmente seus hábitos diários: as atividades físicas e mentais que você faz, como você se alimenta, como você se cuida de uma maneira geral, ou se não se cuida.

Essas alterações fisiológicas não temos como evitar, mas quanto melhores forem nossos hábitos diários desde agora, em melhores condições iremos chegar nesse estágio.

Consequentemente, podemos atenuar essas diminuições e se manter com saúde e autonomia para se fazer o que gosta.

Os exercícios para o corpo e a mente são ótimos aliados nesse processo de envelhecimento e também no estágio final, na terceira idade.

“Mas que tipo de exercícios exatamente?” Antes disso, você precisa entender quais são as principais perdas biológicas nesta idade:

Diminuições Biológicas (funcionais e orgânicas)

  • Força muscular
  • Resistência muscular
  • Potência muscular
  • Coordenação motora geral
  • Resistência cardiorrespiratória
  • Equilíbrio
  • Mobilidade articular
  • Densidade Óssea
  • Metabolismo Basal

Todas essas perdas, entre outras, associadas a muitas facilidades dos tempos modernos, como elevador, escada rolante, aparelhos digitais e outros, acabam ocorrendo com maior intensidade nos membros inferiores, devido ao desuso dos mesmos.

As pessoas tendem a permanecerem cada vez mais tempo deitadas e principalmente sentadas, então deterioram justamente os membros inferiores, que tem um papel fundamental na locomoção e movimentos básicos do dia a dia, como agachar, subir degraus, etc.

A consequência disso são muitas quedas, torções articulares, fraturas em ossos e machucados variados.

Exercício Físico para Terceira Idade

Para evitar esses incidentes e também preservar a autonomia do idoso, os exercícios devem ser mais específicos para o fortalecimento dos membros inferiores e músculos do tronco, importantes nos movimentos básicos, e também outros exercícios que melhorem as capacidades que sofrem maiores perdas.

Uma das modalidades mais importantes neste caso é o treinamento de força, mais conhecido como musculação ou exercício localizado, que promove melhorias na força, resistência e potência muscular, também na coordenação motora, densidade óssea, metabolismo basal e equilíbrio.

Exemplo de exercício: agachamento com desenvolvimento

Todos esses benefícios, com apenas uma modalidade. Porém, devem ser respeitadas as condições específicas de cada indivíduo e também a organização do treinamento, como definição de volume, intensidade e seleção de exercícios mais apropriados.

Você pode ler mais a respeito do treinamento de força neste artigo.

A escolha por uma ou outra não é somente por questões de preferência pessoal, mas também de acordo com o histórico médico de cada pessoa.

A resistência cardiorrespiratória, que também diminui, pode ser trabalhada com diversas atividades cíclicas, como caminhada, corrida, ciclismo, natação e outras.

Por exemplo, lesões ou processos degenerativos nas articulações, que são bem comuns nesta idade, influenciam diretamente.

No caso de apresentar algum desses, principalmente em membros inferiores, prioriza-se atividades com menor impacto, para não aumentar o desgaste e gerar dor, como o ciclismo ou atividades aquáticas.

A caminhada e a corrida já exercem um maior impacto, principalmente nos joelhos, tornozelos e coluna lombar.

Mas vai depender de cada caso, pois algumas vezes a limitação é relacionada a flexão ou extensão da articulação e não necessariamente ao impacto.

Nesses casos, alguns idosos relatam dor no ciclismo, por exemplo, ou bike ergométrica, pois o ângulo de flexão e extensão do joelho nessas atividades é maior do que em uma caminhada e corrida.

Então vai depender da condição patológica e clínica de cada um. Se quiser, pode ver mais detalhes sobre algumas diferenças e semelhanças da caminhada e da corrida aqui.

Para melhorar a mobilidade articular e permitir uma maior amplitude e variedade de movimentos, os alongamentos são ótimos aliados.

Devido a muitos anos de posições inadequadas, tanto sentado como deitado, e também de inatividade física, os desvios posturais e encurtamentos musculares são bem comuns, infelizmente.

Para ver os tipos de alongamentos que existem e o melhor momento de executá-los, leia este artigo.

Outras boas opções de atividades são o pilates e a yoga, que, além de melhorar a mobilidade e postura, também fortalecem os músculos e articulações.

Exercício Mental para Terceira Idade

Para atenuar as perdas cognitivas, é importante manter atividades diárias para o fortalecimento da mente.

Esses exercícios nada mais são do que atividades variadas que estimulam o raciocínio, como jogos, leitura, conversa, etc.

Nossa mente tem que ser treinada tanto quanto o corpo, pois um depende do outro.

Quando um deles está comprometido, acaba afetando significativamente o dia a dia.

Jogos de tabuleiro, cartas, palavras cruzadas e até mesmo jogos de vídeogame e computador, para os moderninhos, mantêm esse treinamento mental em dia e ainda estimulam o convívio social.

Quer se manter com autonomia e ter uma qualidade de vida?

Mantenha a mente e o corpo são…

Deixe sua opinião: